Panikentos Mobile

VEJA O RESUMO DE TODAS AS MATÉRIAS PUBLICADAS NO BLOG CLICANDO AQUI
Tecnologia do Blogger.

TOP 5 ((AS 5 MAIS LIDAS))

Postagens em Destaque

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Se uma pessoa apresenta um estado depressivo, ansioso, sindrome do pânico ou mesmo baixa-estima, de nada adianta cobrar-se por uma qualidade na vida sexual. Uma pessoa em estado depressivo, ou ansioso, não tem o sexo como prioridade. Por outro lado, se a pessoa está com sua auto-estima preservada, se a pessoa está relaxada, de bem com a vida, torna alta as chances de ter uma vida sexual com qualidade e prazer.

A resposta sexual é singular e varia de pessoa para pessoa. Determinadas pessoas vivem em um nível de estresse elevado e, nem por isso, sua vida sexual será prejudicada. Já outras pessoas, diante do mesmo nível de estresse, já sentem algum tipo de


conseqüência na qualidade da vida sexual.

A qualidade do sexo está basicamente relacionada à capacidade da pessoa em perceber estímulos eróticos. Exercícios físicos, massagens, prática esportiva, enfim, tudo aquilo que possibilita a pessoa a tomar consciência do corpo favorece a melhoria da sua percepção e, conseqüentemente, a melhora de estímulos externos, inclusive os estímulos eróticos.

O estado emocional, como exemplificado acima, é importante para a qualidade da vida sexual. É relevante, quando identificamos o nervosismo como principal causa da dificuldade de ereção. Esse é o primeiro passo para a melhoria da qualidade da vida sexual: identificar aquilo que influencia negativamente e, claro, daquilo que influencia positivamente - de que forma você gosta de ser excitado, de que forma você se sente mais confortável, como gosta de tocar e de ser tocado... Veja como tudo está relacionado ao contato e à percepção de sensações.

Só a título de esclarecimento, "nervosismo" é algo que pode estar relacionado a uma série de estados emocionais. Geralmente, associamos o "nervosismo" com um estado de excitação, de irritabilidade, ou mesmo de ansiedade. 



A ansiedade pode se mostrar em atitudes como: "Será que terei ereção?", "E se eu perder a ereção... Veja como a situação que ainda não aconteceu torna-se foco. Quando você estiver com seu parceiro, o foco deve ser a percepção das sensações de estar na relação: tocar e ser tocado, beijar, abraçar, acariciar... Ou seja, na situação que está acontecendo no agora da relação.

Para manter a sua ereção por tempo prolongado é importante que você esteja com desejo de relacionar-se sexualmente, além de relaxado e receptivo para a relação. Não se esqueça de que quem se relaciona é você inteiro e não apenas o seu pênis.



Atenção!
As respostas ou assuntos abordados nesta coluna não substituem uma consulta ou acompanhamento de um profissional de psicologia e não se caracterizam como sendo um atendimento, portanto use somente como fonte de pesquisa.



0 comentários:

OUTROS CANAIS

Atualizações por E-MAIL

Receba as atualizações em seu e-mail.
Digite seu e-mail abaixo:

BLOGS INDICADOS

.::. Visitantes